ONG SPA-Uraí Socorre cachorra com espinhos de ouriço

21/09/2013 15:45

 

Na tarde deste sábado, a Ong SPA-Uraí recebeu informações de que havia uma cachorra no conjunto Sebastião Vince com a boca cheia de espinhos de ouriço, e que uma colaboradora havia conseguido trancar a cachorra no quintal. Rapidamente uma equipe da Ong formada por Neuzeli, Ana Cristina e Ana Flávia seguiram até o endereço indicado e resgataram a cachorrinha. Entrando em contato com o Dr. Lúcio da cidade de Cornélio Procópio, onde o mesmo se prontificou a fazer o atendimento, a equipe rapidamente seguiu até a clínica Bem Estar Animal. Foram retirados todos os espinhos, interno e externo da boca dela, onde a mesma foi medicada, e hoje encontra-se num local seguro!!!

 

Curiosidade!

Esse mamífero coberto por inúmeros espinhos bastante pontiagudos, desperta enorme interesse nos cães que vivem no campo, próximo às florestas ou montanhas. Dificilmente você encontrará um ouriço, uma vez que os hábitos desse animal são noturnos. Existem várias espécies de ouriço espalhadas pelo mundo, e algumas pessoas o mantém como animal de estimação! No Brasil, por se tratar de um animal silvestre, essa prática é proibida.

O ouriço mede de 25 a 30 centímetros e alimenta-se se insetos, aves pequenas, vermes, cobras venenosas e pequenos mamíferos. Não é um animal agressivo para os cães, mas, sentindo-se ameaçado, ele encolhe a cabeça e pés, e seu corpo se transforma numa bola de espinhos. Os cães, desavisados do perigo, perseguem e tentam abocanhar o ouriço. Não é preciso dizer quem vai sair perdendo...
Os espinhos do ouriço podem medir de 2 a 7 centímetros de comprimento e atravessam facilmente a pele dos animais. Os cães que tentam caçar, ou mesmo brincar com um ouriço, apresentam dezenas de espinhos fortemente encravados na boca, língua e lábios. Esses afiados espinhos também podem perfurar as patas, se o cão tentar agarrar o animal.

O ouriço não possui qualquer espécie de veneno, para a sorte de seus adversários. A dor causada pelas múltiplas perfurações é o bastante para desestimular seus predadores. Uma vez atingido, é necessário sedar o cão para retirar todos os espinhos, principalmente da região interna da boca. Quando não se tem um socorro veterinário nas proximidades, os espinhos podem ser retirados com um instrumento do tipo alicate, com um firme e forte puxão. Um sangramento considerável pode ocorrer após a remoção dos espinhos, mas ele cessará em alguns minutos. A área afetada deve ser limpa com antisséptico. Pode ser necessário o uso de anti-inflamatórios e antibióticos.

Embora o encontro com um ouriço seja bastante doloroso para o cão, muitos deles "esquecem" do perigo e voltam a abocanhar o animal. Os mais espertos, nunca mais chegarão perto!

Fontes: Setor de Comunicação SPA-Uraí.

 

Voltar

Pesquisar no site

Sociedade Protetora dos Animais © 2014 Todos os direitos reservados.